Cyber Ativismo

Sarah Melo GL 11

cyberEm meio ao caminho egocêntrico que o desenvolvimento da internet e das redes sociais levou, usando-se ‘’selfies’’ como uma forma de expressão pessoal, surge, em meio as cinzas, uma forma sagaz de conscientizar e informar, o cyber ativismo. Capaz de atingir aqueles que não ousam falar abertamente sobre tópicos controversos, como o feminismo, racismo ou até o terrorismo, o cyber ativismo aborda esses assuntos de uma forma inteligente e compassiva, porém, colocando o bem comum acima de qualquer zona de conforto.

Esse novo tipo de mobilização social e política sugere que com organização progressiva ela realmente pode ter um poder imensurável. Diferente da mídia em
massa, que provou-se não confiável em variadas ocasiões, o cyber ativismo apresenta todas as ferramentas necessárias para que ocorra o envolvimento
cívico, no que diz respeito a comunicação entre indivíduos e grupos de pessoas com ideologias progressivas. Esses grupos são, em sua grande maioria, usados
para a organização de manifestações, postagem de noticias relevantes e de opiniões, espalhando incentivo ao pensamento crítico. O cyber ativismo deu á estas pessoas uma voz que elas antes não possuíam. Em um cenário onde uma menina que nunca teve a oportunidade de ouvir falar sobre os direitos da mulher e sobre a luta feminista, possa encontrar um grupo no ‘’Facebook’’ voltado para ensinar meninas sobre esse movimento tão importante, o cyber ativismo promove uma mudança de pensamento que enriquece a vida tanto do indivíduo quanto da sociedade que o cerca.

O cyber ativismo se manifesta, também, na forma de um vigilante da verdade, que busca desmascarar ou checar fatos de fontes da mídia. Hackers habilidosos tem o poder, por meio das redes sociais, de mostrar a uma população cega pelo bombardeio de informação que é mirado à elas, o que realmente acontece por trás das câmeras. O grupo de hackers chamados ‘’Anonymous’’, por exemplo, se dedicaram à exposição de informações confidenciais que, na maioria das vezes, são de grande utilidade, não só para a população, como também entidades governamentais. São responsáveis, também, pela suspensão de contas nas redes sociais utilizadas pelo Estado Islâmico como forma de recrutamento de jovens, e pela suas amedrontadoras respostas ao terrorismo tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos.

Nas redes sociais, se encontra um enorme portal de informação e liberdade de expressão. E, no seu desenrolar, tornou-se uma mola propulsora de movimentos sociais e políticos dando-os o potencial de atingir pessoas de uma forma familiar e que as leve ao encontro de novas ideias para mudança.

Sobre Carlos Rix

Marketing & Franquias
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.